Eterna inquietação paulistana

Em se tratando da Paulicéia, há mais nostálgico que os bondes? Belosbondes vermelhos! Os mais bonitos de todo Brasil. Para paulistanossexagenários, meu caso, creio que não. Os bondes imiscuíram-se napaisagem da Cidade, principalmente entre os anos 30 e 60 — testemunhasfiéis da metamorfose “cidade/metrópole”, com apoio na vocação fabrilde Piratininga. “São Paulo não pode parar!”, … Ler mais…

O destino era o “Eldorado”, a capital de São Paulo (1949)

Boa tarde td bem. O tempo vai passando e vem as lembranças de onde vivi por uns bons tempos, digo região do Sacomã-SP.Éramos crianças, três irmãos nascidos em Porto Ferreira – SP, e daí a família resolve migrar para a capital de São Paulo. E lá vamos nós, embarcando no trem da Cia. Paulista. Não me perguntaram se eu queria mudar para a capital… Enfim, também se perguntassem eu não poderia responder.  E vamos viajando até chegarmos à Estação … Ler mais…

Um cachorro, que nem “tinha”! (cicatriz no braço)

Por: Rubens Cano de Medeiros Bem, minhas primeiras historinhas, de quando eu ainda detinha a posseda Facit “manual” (como se, por comparação, as máquinas “elétricas”IBM ou Olivetti “manuais” também não eram…), eu então datilografavaos textos. “Minutas”, que um de meus dois filhos em seguida passavapara a internet. Pelo menos, duas pessoas liam: eu e o … Ler mais…