Gilda na Broadway paulistana

Por: Rubens Cano de Medeiros. Assegura o (mini) dicionário: “saudosismo é a tendência de elogiar o passado”. Algo como querer preterir o progresso, ir contra a evolução, contra as mudanças. Neste caso presente, garanto que não. Paulistanos contemporâneos de mim — isto é, mais ou menos sessentões que eu — e que gostavam de bondes, poderão concordar: gostar é simplesmente gostar; sem maiores explicações: deixar razões de lado. Daí eu querer apenas comentar. Falar algo mais sobre os bondes. Falar por falar. Como que conduzido por um saudosismo porém ameno. E nem por isso contestar o progresso. Interessante (modo de dizer) que, no Museu dos Transportes, uma foto de um bonde aberto traz a legenda: “bonde da CMTC demolido, tal, tal”. Isso de quando os bondes foram extintos. De fato, o termo é “demolido”. Pois exceto os jogado fora, sob … Ler mais…

Eram rosas, agrião e borboletas… (Itororó)

Minhas Lembranças Por Rubens Moitinho 22.06.2012 Paulistano (a) que no dia-a-dia cruzas a 23 de Maio, dirigindo teu carro ou a bordo de condução. Quero crer que nem imaginas. Que naquele trecho — e até no passado nem tão remoto assim — ali havia chácaras. Refiro o trecho compreendido entre Oscar Porto e Tutoia. Ladeado … Ler mais…

Cerâmica Sacomã

“MUDEI PARA A RUA ALBINO DE MORAES, EM 1953, VINDO DE PORTO FERREIRA, PASSEI TODA INFÂNCIA NA VILA CARIOCA, ENFIM NA REGIÃO DO IPIRANGA, E QUANDO VOU VISITAR MINHA FAMÍLIA, SEMPRE PORTANTO UMA CÂMERA DIGITAL, VOU FOTOGRAFANDO.” Por: Jose Carlos de Oliveira Oliveira Tangerynus