Escorregando nos Trilhos

Por: Jair Francisco de Andrade Pinheiro Em leitura ao artigo do colaborador de conteúdo do nosso Portal do Ipiranga – Sr. Rubens Cano de Medeiros, ocorreu-me uma boa lembrança das longas e felizes conversas que tive com meu avô – Saudoso Jayr de Andrade. Contava-me ele que em sua infância pobre no interior de São Paulo – Cidade de São Carlos – … Ler mais…

Zzzim… e pimba! ou Pneus para aviões

Por: Rubens Cano de Medeiros.I – Hoje, eu sessentão, tinha meus sete aninhos lá por volta de 1954. Tão longínquo no tempo! Eu e meus pais, paulistanos proletários (não obstante a sorte de morar em Vila Mariana) nós, vez por outra, a gente ia passear em casa de parentes, na Vila Santa Isabel. Levando em conta o transporte coletivo … Ler mais…

O 109: balançando, rumo ao Cambuci

Por: Rubens Cano de Medeiros Mesmo para aquele tempo (anos 50, eu moleque), era uma linha de trajeto curto — comparada ao comum das linhas de ônibus e de bondes. Linha que nascia na Praça Rodrigues de Abreu, onde Paraíso e Vila Mariana se abraçam. “Largo do Guanabara”, referiam ainda moradores mais velhos. À frente da qual praça ficava a Brahma, não? Cujas imponentes instalações dominavam todinho um enorme quarteirão!, lembram contemporâneos de mim. De quando a rua hoje ao lado do metrô era “dos Tupinambás”, belo nome. Que teve esse nome trocado: coisa de São Paulo. Brahma no Paraíso, “Antarctica” na Mooca: nomes de peso no mercado de fabricantes de “bebidas e conexos”, do parque industrial paulistano. Brahma cujas altas chaminés expiravam vapores e rolos de fumaça branca, que exalavam aroma inconfundível. Muitos ainda lembram … Ler mais…