Canção Final

Canção Final

        Espaço cultural e poetico  por:

        Nelli Célia (nellicelia@yahoo.com.br)

       A vida nos reserva surpresas, que muitas das vezes , elas nos acordam para vivermos melhor e com mais sabedoria e agradeciment osa Deus por nos mostrar caminhos outros com mais segurança e aproveitamento.

        É o que acontece com esse poema de nosso Drumond de Andrade,  que nasceu em 31 de outubro de 102 em Itabira do Mato ( Minas Gerais) e morre17 de agosto de 1987  Drummond sempre genial e criativo, retratando momentos que achamos sereren os únicos para vivermos, e  dali  há pouco surgem em nossa frente uma nova situação que na hora nos assustam, mas depois passamos agradecer por haver acontecido.

        O amor cria esses  momentos inusitados e quando termina, nos sufocam e achamos que nos foi tirado o chão onde pisamos, contudo, depois do desespero passar e das avaliações aparecerem, notamos com convicção que tudo isso não  passou de um período que nos encantou, mas que a vida não é feita somente de encantamento e de “ contos de fadas”, mas sim de realidade, de parceria, de afeto de confiança e principalmente de amor singelo e puro o que encontramos onde nossas almas , afins, e quando isso acontece, nada nos separa pode pássaro tempo que for o  amor,perdurará  e seremos  gratos a Deus por te vivido esse clima. Feliz daqueles que passam uma encarnação toda com esse afeto ao seu lado, são realmente “bem-aventurados” no amor, pois são merecedores dessa dádiva de Deus e seguem a lei do amor ensinada pelo Mestre Jesus.

CarlosDrumnond Drummond de Andrade

          Canção Final

Ah! Se te amei, e quanto!

Mas não foi tanto assim.

Até os deuses claudicam

Em nugas de aritmética.

Meço o passado com régua

De exagerar as distâncias.

Tudo tão triste e o mais triste,

É não ter tristeza alguma.

É não venerar os códigos

De acasalar e sofrer.

É viver tempo de sobra

Sem que me sobre miragem.

Agora vou-me. Ou me vão?

Ou é vão ir ou não ir?

Oh! Se te amei, e quanto,

Quer dizer, nem tanto assim.