Abordando vivências distintas do bairro paulistano Heliópolis, documentário cênico Cidade do Sol, do grupo de teatro Impacto Agasias, exibe suas duas partes pelo YouTube


O grupo de teatro, que está comemorando dez anos em 2021, exibe uma desmontagem do documentário cênico criado a partir das memórias pessoais e coletivas da população de Heliópolis. A pesquisa em Teatro Documentário é também um gesto político para manter viva a memória do bairro e da cidade de São Paulo.

O Arquivo I faz parte do projeto ‘Cidade do Sol – quem conta um conto aumenta um ponto’, contemplado pela 5ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da  cidade de São Paulo. Já o Arquivo II faz parte do ‘Projeto Impacto Agasias – 10 anos’, contemplado no EDITAL PROAC EXPRESSO LAB Nº 47/2020.



Fotos disponíveis neste link
O grupo de teatro Impacto Agasias transmite ao público as duas partes do documentário cênico Cidade do Sol – uma homenagem à menina luz [DESMONTAGEM]. O Arquivo I será exibido nos dias 18 e 20/6, sexta, 20h, e domingo, 19h. Já o Arquivo II será exibido nos dias 19, 20, 26 e 27 – sábados, às 20h, e domingos, às 19h. No dia 20/6, em específico, a primeira e a segunda parte serão exibidas uma na sequência da outra. Ambos são veiculados pelo canal de Youtube do grupo.

Os documentários são compostos por uma pesquisa pelas memórias esquecidas de Heliópolis, bairro localizado na Zona Sul de São Paulo que ainda é alvo de preconceitos e desinformações, muitas vezes gerados pela grande mídia, sobre quais são as dinâmicas e no que consiste uma comunidade periférica. Na obra, os personagens centrais são os próprios moradores de Heliópolis – a maioria migrantes nordestinos -, cujos depoimentos foram colhidos ao longo de 2018 e 2019.

Ao documentar o bairro, o grupo se deparou com muitas histórias de luta e resistência como a de Cleide, Genésia e Neguinha, importantes lideranças na luta por moradia no bairro, e de representantes do movimento de mulheres na luta feminista. Também foram ouvidos professores como Orlando e Braz que, junto a outros educadores, lutam para fazer de Heliópolis um bairro educador.

Na segunda parte da obra, os integrantes do grupo compartilham suas criações artísticas, os vínculos com a comunidade de Heliópolis, o encontro com a luta feminista presente no bairro e como essa quesão atravessou todo o processo de criação do documentário. Esse material que está sendo oferecido ao público já realizou temporada presencial no CEU Heliópolis Profª Arlete Persoli em 2019.

“Fazer documentário não é exatamente narrar o que aconteceu e como aconteceu, trata-se de um olhar para a realidade, a fim de que essas memórias sejam lembradas. Como, por exemplo, a história da estudante Leonarda, que há 22 anos foi morta a tiros e a comunidade fez desse acontecimento símbolo de resistência e luta por direitos sociais”, conta Carolina Angrisani, diretora e roteirista do documentário.

A ‘desmontagem cênica’, como nomeia o Impacto Agasias Grupo de Teatro , tem por objetivo evidenciar os vínculos existentes entre os integrantes do grupo, sua história, os desafios cênicos que surgiram durante a montagem e os temas abordados na obra.

“É uma forma de promover um reencontro com as memórias do processo e uma reflexão mais profunda sobre os aspectos abordados na montagem do documentário, possibilitando o amadurecimento humano, artístico e intelectual, tendo em vista o caráter artístico pedagógico das desmontagens cênicas”, contam os artistas do coletivo.

Sobre o Impacto Agasias Grupo de Teatro

O grupo Impacto Agasias nasceu rodeado de sonhos, da necessidade de se fazer arte e de falar sobre seus anseios e serem ouvidos. Foi neste momento que surgiu o primeiro trabalho do grupo, No Ritmo da Realidade, que retratava um dos momentos mais difíceis para um homossexual: assumir-se perante a si mesmo e à sua família. O espetáculo, criado em 2011, rendeu indicação de melhor Direção e o Prêmio de melhor Dramaturgia para Henrique Sanchez no Festival de Teatro do ETA.

No desejo de explorar novos caminhos, em 2012 o grupo estreou Santo Cristo, livremente inspirado na canção Faroeste Caboclo, da banda Legião Urbana. Em 2013, o grupo foi amparado por uma sede no Polo Cultural da Cidade Heliópolis, atual CEU Heliópolis Professora Arlete Persoli. Lá, foi possível experimentar, exercitar e explorar diversas maneiras de colocar a arte em prática.

Em 2015, o grupo criou sua primeira obra destinada ao público infantil, A Lenda Sumiu!, que resgata os valores do folclore nacional. A peça foi criada com o objetivo de atingir não somente as crianças, mas também aos adultos que puderam estar presentes nessa viagem lúdica da nossa cultura. A memória viva e um carinho inexplicável recebido da comunidade de Heliópolis daquelas crianças que tiveram pela primeira vez o seu contato com o Teatro nos fez querer ser e fazer ainda mais.

Em 2017 os processos de migração dos moradores de Heliópolis junto à livre inspiração da obra A Megera Domada, de William Shakespeare, resultaram no espetáculo Dandara, que tem ainda uma pitada do sertão brasileiro e de discursos sobre o empoderamento feminino. Essa obra foi apresentada no formato de teatro de rua, uma forma de estreitar os laços com a comunidade de Heliópolis e de outras regiões periféricas da cidade, que foram atingidas por meio de uma circulação possibilitada pelo Circuito Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo.

Em 2018, o grupo decidiu experimentar a vertente do Teatro Documentário e foi dessa forma que a própria comunidade de Heliópolis serviu como berço para o documentário cênico Cidade do Sol – uma homenagem à menina luz, contemplado pela terceira edição do programa de Fomento à Cultura da Periferia da Cidade de São Paulo, que chegou.

Em 2021, o grupo apresenta a pesquisa audiovisual com apoio da 5ª edição do Fomento à Cultura da Periferia da Cidade de São Paulo e, pelos editais municipais e estaduais de emergência a Cultura (Lei Aldir Blanc), produz oFestival de Circo e Teatro 3ª edição e o show on-line do Tukum Bando de Criação.

FICHA TÉCNICA
Direção e Roteiro: Carolina Angrisani
Preparação Corporal: Marcela Sampaio
Direção Musical: Samanta Okuyama
Artistas Pesquisadores: Caroline Varani, Henrique Sanchez, Katia Bocalon, Mica Matos, Raffael Santos, Suelen Almeida e Wallace Borges
Musicista: Mica Matos
Direção de Produção: Wallace Borges
Produção Executiva: Henrique Sanchez
Produção Geral: Alessandra Bera e Marina Rodrigues
Mixagem e Masterização: Victor Merseguel
Criação Visual: Roberta Giotto
Fotos: Jack Oliveira
Assessoria de Mídia: Lucas Becerra
Edição e Cor: Paulo Trajano
Pós Produção: Berenice Filmes
Concepção: Impacto Agasias Grupo de Teatro
Realização: Impacto Agasias Grupo de Teatro
Apoio: CEU Heliópolis – Profª Arlete Persoli e UNAS Heliópolis e Região
Patrocínio: Secretaria Municipal de Cultura e Fomento à Cultura da Periferia da Cidade de São Paulo

SERVIÇO
Cidade do Sol – uma homenagem à menina luz [DESMONTAGEM] – Arquivo I
Temporada: Sextas e sábados, 20h e domingos, 19h
Arquivo I: 18 e 20/6 | Arquivo II: 19, 20, 26 e 27/06*
*No dia 20/6, serão exibidos os dois Arquivos, um na sequência do outro
Exibição: YouTube.com/impactoagasias
Duração: Cada arquivo tem 40 Minutos
Classificação Indicativa: 16 Anos
Grátis

Assessoria de Imprensa – Pevi
Angelina Colicchio – (11) 99299-2877
Diogo Locci – (11) 99906-0642
assessoria@pevi56.com