Cia. Mundu Rodá apresenta espetáculo teatral Memórias da Rabeca pelo Youtube

Cia. Mundu Rodá apresenta espetáculo teatral Memórias da Rabeca pelo Youtube

Cia. Mundu Rodá apresenta espetáculo teatral Memórias da Rabeca pelo Youtube

Reverenciando a riqueza cultural do universo da rabeca, a Mundu Rodá convida o público para uma viagem pelas memórias e histórias dos rincões do Brasil, lugares quase esquecidos do país.

Memórias da Rabeca exalta a poética de rabequeiros brasileiros e a luta pela preservação dessa cultura  

De 16 a 21 de abril de 2021, às 19h00,  a Cia. Mundu Rodá realiza apresentações gratuitas e com tradução em Libras do espetáculo Memórias da Rabeca pelo Facebook (www.facebook.com/munduroda) e  Youtube (www.youtube.com/munduroda). Na sequência de cada apresentação, o grupo promove um bate-papo do público com integrantes da equipe de criação do espetáculo e mestres rabequeiros convidados como Luiz Paixão (Condado-PE),  Zé Pereira (Ariri-SP), Nelson da Rabeca e Dona Benedita (Marechal Deodoro -Al).

Memórias da Rabeca revela memórias guardadas por sete rabecas, trazendo à luz histórias e personagens que ficaram e continuam à margem – da sociedade, da mídia e da justiça brasileira. Memórias que ecoam e atravessam os tempos e seus guardiões – os rabequeiros brasileiros – colocando em foco dinâmicas das relações entre o humano e a rabeca.

“Assim como nós, cada rabeca é única e possui uma persona sonora – afinam e desafinam. Cada rabeca tem sua digital sonora e cultural, e entre inúmeras possibilidades de ser e se reinventar, elas documentam histórias, por vezes inesperadas, de lugares quase esquecidos deste país”, comenta a Cia. Mundu Rodá

Memórias da Rabeca é uma obra de resistência poética dividida em sete atos: Cegos Rabequeiros, Maneirinha, Boi da Mão de Pau, Cultura Caiçara, Fandango – Resistência e Tradição, Iauaretê, Minha Chã e Redemunho. Cada movimento é inspirado na obra de poetas e rabequeiros, como Cego Oliveira, Cego Aderaldo e Cego Sinfrônio, Seu Nelson (AL) e Fabião das Queimadas (1848-1928), ex-escravo que comprou sua liberdade e de seus familiares com sua música e poesia. 

Além de inspirações em histórias, mistérios e causos sobre tocadores pactários, como no conto “Meu Tio, o Iauaretê” de Guimarães Rosa, e na cultura caiçara Paulista, suas relações com o Fandango e seus mutirões, e suas principais questões sócio-político-ambientais. 

O espetáculo é fruto de intensa pesquisa artística realizada através do intercâmbio com rabequeiros da Cultura Caiçara, Quilombola e Indígena do Litoral Paulista, também por meio de pesquisa histórica sobre rabequeiros que marcaram a música e a poesia no Brasil, além da pesquisa de campo continuada da Cia. Mundu Rodá junto aos rabequeiros do Nordeste Brasileiro (Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte)

“Nos anos em que residimos na Zona da Mata Pernambucana, aprendemos com nossos mestres e mestras que o aprendizado e a criação artística não são instâncias isoladas. Ali, as brincadeiras, as festas e os ritos são manifestações que refletem o modo como a comunidade entende as relações em várias esferas da vida. Do mesmo modo, buscamos este caminho na criação e na pedagogia que desenvolvemos, onde vida e arte ecoam juntas para expressar as possíveis e diferentes visões de mundo,” explica o grupo. 

As apresentações de Memórias da Rabeca fazem parte da Mostra de Repertório da Mundu Rodá, que começou com apresentações de “Vida de cão, coração de herói” e conta ainda com a revisitação do projeto/espetáculo ARIGÓS: bandeira, espinha-de-peixe, cara-de-gato e o novo projeto musical de Alício Amaral com composições inéditas. 

Com vinte anos de estrada, a Cia Mundu Rodá (SP), fundada por Juliana Pardo e Alício Amaral, vem construindo uma linguagem cênica própria a partir da observação, do contato e do diálogo com as Danças Tradicionais Brasileiras e o Trabalho do/a Artista Intérprete.

Ministrando aulas, oficinas, preparações e com oito espetáculos em seu repertório: Donzela Guerreira (2007); Sambada de Reis (2005); Estrada (2010); Memórias da Rabeca (2017); Show Rabeca Primeira Sonora (2018); Figuras Inesperadas (2018); Vida de Cão, Coração de Herói (2019); Arigós -Bandeira, Espinha-de-Peixe, Cara-de-Gato (2020), o grupo já viajou os rincões do Brasil e expandiu sua atuação para países como China, Dinamarca, França, Inglaterra, República Tcheca, Itália e Portugal

As ações fazem parte do projeto da Mundu Rodá contemplado no Edital PROAC EXPRESSO LAB 36/2020 – Produção e temporada de espetáculo de teatro com apresentação online.

Mais informações em:  www.munduroda.com / Facebook: Mundu Rodá / Instagram: @munduroda

Assista o teaser do espetáculo: www.youtube.com/watch?v=63xy9kRvQxQ

www.youtube.com/watch?v=F2kynHo6_EA

Sinopse – Espetáculo: Memórias da Rabeca

Espetáculo-solo que revela memórias guardadas por sete rabecas, trazendo à luz histórias e personagens que ficaram e continuam à margem – da sociedade, da mídia e da justiça brasileira. Memórias que ecoam e atravessam os tempos e seus guardiões – os rabequeiros brasileiros -, colocando em foco dinâmicas das relações entre o humano e a rabeca. Um convite para o encontro com a multiplicidade do universo da rabeca. A rabeca torna-se a voz, os pés e as mãos do ator que a toca, e o ator torna-se a vibração de suas cordas e sua música. Duração: 60 minutos

Quando: de 16 a 21 de abril de 2021 – Horários: 19:00

Onde assistirwww.facebook.com/munduroda e www.youtube.com/munduroda

Classificação Livre – Grátis

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras

Bate-Papo: após cada exibição um bate papo ao vivo com a equipe de criação do espetáculo

Ficha Técnica

Direção artística: Juliana Pardo | Artista intérprete: Alício Amaral | Composição e direção musical: Alício Amaral | Dramaturgia e textos: Alício Amaral e Juliana Pardo | Desenho de luz: Eduardo Albergaria | Figurino e Cenário: Eliseu Weide | Assistente cenotécnico: Wanderley D.lascko | Contrarregragem e Técnico de Palco: Tiago Moraes | Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini | Produção Executiva: Movimenta Produções e Cia. Mundu Rodá | Local dos Ensaios: Casa Mundu Rodá | Local de Gravação: Centro Cultural Oswald de Andrade | Apoio: Cooperativa Paulista de Teatro | Registro Audiovisual: Temporal Filmes | Colaboração/provocação artística: Jussara Miller, Roberta Carreri (Odin Teatret), e Luiz Fiaminghi | Orientação/Rabequeiros tradicionais: Zé Pereira, João Firmino, Agostinho Gomes, Zé Lucas, Carlos Raymundo, Benedito Nunes, Oswaldo Curió, Luiz Paixão, Nelson da Rabeca e Damião | Em memória aos rabequeiros: Angelo Ramos, Antônio Teles, Manuel Salusitano, Mané Pitunga e Seu Mané Pereira | Luthier: Fábio Vanini | Rabecas (autores): Fábio Vanini, Fernando Vanini, Nelson da Rabeca, Zé de Nininha, Zé Pereira e Oswaldo Curió.

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel (11) 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com