UM OLHAR

  Jornal  “ Independência ou Morte “

  Espaço cultural e poético

 Por: Nelli Célia

 (  nelliceliafl@gmail.com)

  A Espanha, linda e com tantas histórias que atravessaram os séculos, seus escritores, seus cantores, suas danças e  seus poetas, nos enriquecem em cultura e sensibilidade, como é o nosso homenageado desta edição, o poeta Antônio Machado.

       Antônio Cipriano José Maria y Francisco de Santa Ana Machado Ruiz, conhecido por Antônio Machado, nascido em Sevilha em 1875 e falecido na França em 1939.

       Retrata em seus versos o sentimento do amor da beleza e de Deus. Nesta poesia ele nos leva a refletir, sobre os nossos sentimentos, tão profundos que trazemos dentro de nós e que, muitas das vezes, descremos deles. É o coração guardando a ilusão que mantém a vida alegre e esperançosa. Convido os meus leitores que desfrutem ( como eu) desta riqueza poética.

     UM OLHAR

Ontem á noite enquanto dormia

Ontem á noite, enquanto dormia,

Sonhei- maravilhosa ilusão!-

Que uma corrente jorrava

em meu coração.

Eu disse: por qual canal secreto,

oh  água, você vem a mim,

água de uma vida nova

que eu nunca bebera antes?

Ontem á noite, enquanto dormia,

sonhei- maravilhosa ilusão!-

Que havia uma colmeia

bem dentro do meu coração.

E as abelhas douradas

faziam favos brancos

e mel doce

das minhas velhas imperfeições.

Ontem á noite enquanto dormia,

Sonhei- maravilhosa ilusão-

Que um sol ardente  brilhava

Dentro do meu coração.

Era ardente porque sentia calor

Como uma fornalha,

E o sol porque brilhou

E trouxe lágrimas aos meus olhos.

Ontem á noite, enquanto eu dormia,

Sonhei- maravilhosa ilusão!-

Que era Deus quem eu tinha

Bem dentro do meu coração.