Lembrança II

Olá, pessoal da redação!

Encontrei o Renato em uma comunidade do Orkut e conheci o trabalho de você. Por sinal, muito bom!

Morei no bairro do Ipiranga dos 13 aos 23 anos, quando me casei. Hoje moro em São Caetano.

A melhor lembrança que tenho do Ipiranga é o fato de ter conhecido o meu marido, aos 15 anos, e ter me apaixonado por ele. Hoje tenho 31 anos de casada, dois filhos e um netinho de um ano.

Conheci meu marido em uma Festa Junina, no Colégio Alexandre de Gusmão. Como tinha um namoradinho sem graça, na época, dei um perdido no meu marido, pois era (e ainda sou) uma pessoa muito fiel. Voltamos a nos encontrar durante os Jogos da Primavera, no Clube Atlético Ipiranga, local frequentado pelo meu marido desde os cinco anos de idade. Desta vez, não resisti. Dei um chega pra lá no namoradinho sem graça e fui curtir a minha história de amor que se renova a cada dia, desde 1971, quando o conheci.

Obrigada por me fazerem voltar no tempo. Era uma época inocente, de namoros proibidos, de revoltas por não poder participar das domingueiras do CAY e tramas eletrizantes arquitetadas para participar, escondida dos meus pais, de um baile de carnaval que, por sinal, foi o melhor baile da minha vida!

Abs

C.R.