Memorial Santa Paulina

Inicialmente era um museu, para uso interno. Foi organizado na década de 1980, pela comemoração do primeiro Centenário da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição (CIIC), fundada por Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Com o objetivo de trazer à luz a história da vida e missão de Santa Paulina e da sua Congregação, foram coletados objetos que traduzem um pouco da tradição, dos usos e costumes, devoções e personagens que marcaram a trajetória de Santa Paulina e das Irmãzinhas.

Visita Virtual

No dia 16 de dezembro de 2005, foi inaugurado com o nome de Memorial Santa Paulina, em homenagem aos 140 anos do seu nascimento. Trata-se de um Memorial porque tem a finalidade de tornar viva e perene a memória de Santa Paulina, sua história, seu cotidiano, os valores por ela propagados pelo testemunho da própria vida e a missão por ela desenvolvida.

Onde se encontra o Memorial Santa Paulina - O Acervo está situado, na Avenida Nazaré, 470-Ipiranga, São Paulo, SP, na Sede Geral da Congregação, local que foi um dos cenários privilegiados de sua história. Foi aí que ela passou os últimos 24 anos de sua vida, até partir para a morada celestial, deixando este ambiente impregnado pelo perfume da sua santidade.

O Memorial está aberto para visitantes - De terça feira a domingo, das 09 às 12 horas e das 14 às 17 h. (Segunda feira é fechado para manutenção). Ao visitar o Memorial, você terá a oportunidade de conhecer a Capela Sagrada Família, onde estão depositados os restos mortais de Santa Paulina. Neste recinto sagrado, temos pessoas que acolhem os devotos que chegam para fazer sua oração. E no dia 9 de cada mês, às 17 horas, você poderá participar da Celebração Eucarística - Missa em homenagem a Santa Paulina.

Organização do espaço - A distribuição do espaço e os nomes das salas, são inspirados em textos e fatos mais significativos da história de Santa Paulina, no decorrer dos seus 76 anos de vida e da caminhada da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição.

Dez espaços exibem o material recolhido:

01 - HISTÓRIA DE UMA VIDA: situada na entrada do Memorial, traça a cronologia da história de Santa Paulina e mostra um pouco do cenário onde tudo começou.

02 - QUERO QUE COMECES UMA OBRA: apresentação dos sonhos de Amábile Lúcia Visintainer (Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus), um prenúncio de seu projeto de vida e missão; autoridades eclesiásticas, benfeitores e amigos da Congregação.

03 - EU VIM PARA SERVIR: galeria das Superioras Gerais, dos Papas, do Pe. Luis Maria Rossi e outros personagens que acompanharam a trajetória de Paulina e da Congregação e seus pertences. Há também relato de graças alcançadas.

04 - EXPANSÃO MISSIONÁRIA: fotos, textos e objetos relacionados à missão nos diversos continentes e países onde as Irmãzinhas marcam presença.

05 - SALA CAPITULAR: local onde ocorrem as assembléias eletivas da Congregação, exibe quadros relativos à história de Madre Paulina com suas primeiras Irmãs da Congregação.

06 - PASSO A PASSO: textos, fotos, medalhas, símbolos recebidos em homenagem, pela Congregação; certidão de óbito de Santa Paulina e personagens que marcam o seu cotidiano.

07- AQUI MORREU SANTA PAULINA: objetos que marcaram o cenário dos seus últimos anos de vida, urna mortuária e o Testamento Espiritual dirigido às suas Irmãs, em 12 de julho de 1940.

08 - BEM-AVENTURADA E SANTA: Fotos e textos que expressam os passos do processo de beatificação e canonização de Santa Paulina.

09 - ORATÓRIO: contém relíquias, imagens dos santos de sua devoção, frases e orações que retratam um pouco da sua mística e espiritualidade. Além disso, um altar com a imagem do Menino Jesus e genuflexório onde Santa Paulina, muitas vezes, recebeu a comunhão e fez suas orações.

10 - COM O TRABALHO DAS MÃOS: espaço onde Santa Paulina, nos seus últimos anos de vida, trabalhava na confecção de flores, terços, seleção dos casulos do bicho-da-seda. Tudo feito com muito amor, num clima de recolhimento e oração. O local apresenta um avental utilizado por ela, símbolo de serviço e doação.

Você é chamado/a a conhecer uma parcela da missão da Congregação e a vida de Santa Paulina, mulher humilde, de muita fé e grandes ideais, que, por onde passou, deixou as marcas do ardor missionário, da ousadia profética, solidariedade e ternura, de modo especial, com os mais pobres e abandonados.

*********************************************************************

Amabile Lucia Visintainer, hoje Santa Paulina, (Vigolo Vattaro, 16 de dezembro de 1865 — São Paulo, 9 de julho de 1942) foi uma religiosa ítalo-brasileira canonizada em 19 de Maio de 2002 pelo Papa João Paulo II.

Filha de Napoleone Visintainer e Anna Pianese, nasce numa família de poucas posses que em 1875 emigra para o Brasil como muitos outros trentinos, estabelecendo-se na localidade catarinense de Nova Trento.

Desde muito cedo, actuante nos serviços religiosos da sua paróquia, emite os votos em 1895 e torna-se Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Amábile dá início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Em 1903 deixa Nova Trento e, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, ocupa-se de crianças órfãs e de ex-escravos abandonados.

A partir de 1918 passa a ter uma vida muito reservada, dedicando-se à oração e à vida contemplativa. Em 1938 já demonstrava sérios problemas de saúde causados pela diabetes até que lhe foi amputado o braço direito. Passou os últimos meses de sua vida cega, vindo a falecer em 9 de julho de 1942.

Em 18 de Outubro de 1991 foi beatificada pelo Papa João Paulo II por ocasião da sua visita a Florianópolis. Foi por fim canonizada em 19 de maio de 2002 pelo mesmo Papa, recebendo oficialmente o nome de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

Você está aqui: Home